Acesso a crédito: como funciona no Brasil?

Acesso a crédito: como funciona no Brasil?

Quer saber mais sobre o cenário do acesso a crédito, que, inclusive, vem passando por grandes mudanças e transformações? Então leia o texto abaixo!

Quer saber mais sobre o  cenário do acesso a crédito, que, inclusive, vem passando por grandes mudanças e transformações? Então leia o texto abaixo!

Falar sobre acesso a crédito no Brasil é falar sobre poder de compra e inclusão de pessoas no sistema financeiro. Hoje, o país vive uma necessidade gigantesca de atender a demanda econômica da população e o aumento dos limites de crédito entra como uma parcela importante na busca por soluções. 

Quando inserimos essa informação no contexto de retomada da economia pós-pandemia, o índice de importância da liberdade de crédito para a população se torna ainda maior. 

Os números apontam o crescimento da aquisição de crédito como principal alternativa para problemas financeiros, com 79% das pessoas usando para contas pessoais e pagar dívidas, de acordo com um levantamento realizado pelo Serasa

Ficar por dentro do assunto é necessário para compreender o comportamento e hábitos do consumidor brasileiro e conhecer cada vez mais o seu cliente. 

Aqui, nós vamos te explicar como se encontra o cenário no Brasil, passando por diversas mudanças e transformações, e quais soluções vêm aparecendo para driblar as principais dificuldades. Acompanhe o texto! 

Como funciona o acesso a crédito?

Simplificando os termos, a palavra crédito vem da expressão "crer" e funciona exatamente assim: é um voto de confiança. Se os bancos, empresas ou lojas acreditam que podem confiar em uma pessoa, irão fazer o empréstimo do dinheiro que elas precisam. 

Nesse caso, o acesso a crédito é a possibilidade de utilizar a verba liberada para realização de compras, investimentos e pagamentos como um todo, por meio de um montante emprestado por uma instituição financeira. 

Na prática, a pessoa deve solicitar a quantia de  dinheiro que precisa e, em seguida, todos os seus dados passarão por uma análise, que vão defini-la como confiável ou não para ter acesso àquele crédito. 

Dados básicos cadastrais, renda, perfil de crédito, dívidas vencidas e negativas, hábitos de pagamentos e informações internas de relacionamento com a instituição são alguns dos fatores analisados.  

Porém, o alcance a esse tipo de empréstimo envolve uma série de elementos além das análises burocráticas e pode ser excludente com certas parcelas da população, que estão à margem do sistema financeiro do país. 

Como é o cenário atual no Brasil?

No Brasil, atualmente, a população de baixa renda é a que mais solicita esse crédito e a que menos têm acesso

Nos dados levantados pelo Serasa, 44% das solicitações de empréstimos, financiamentos e outras concessões financeiras são negadas para pessoas que recebem menos de cinco salários mínimos por mês (R$5500), sendo as principais razões a baixa renda e o histórico de inadimplência.

E por que isso acontece? Os motivos são diversos, mais complexos e particulares do que imaginamos, mas vamos apresentar uma visão geral das condições determinantes para tal situação. 

Pela lógica das análises, além do que já citamos, também é levado em conta uma projeção a partir da renda da pessoa que solicitou o crédito, pensando nas reais chances daquele montante ser pago de volta para instituição financeira, sem grandes atrasos ou prejuízos.

Dessa forma, as oportunidades de acesso a mais crédito para as classes mais baixas diminuem. Em contrapartida, com riscos maiores, também estão as taxas de juros mais altas, o que dificulta essa oportunidade de utilização, em casos de aprovação do crédito. 

Em um contexto mais abrangente, o sistema financeiro do Brasil como um todo ainda tem muito a evoluir para proporcionar mais flexibilidade em relação ao crédito para as pessoas. 

Quais são as possíveis soluções? 

Como parte de um movimento maior, de inclusão financeira e bancária da população, o surgimento de bancos digitais vem sendo a maior e principal ferramenta nesse processo de democratização nos últimos anos. 

O Nubank, por exemplo, é um protagonista desse movimento. O banco digital está presente em todas as cidades do Brasil, sem exceção, abrangendo grande quantidade das pessoas que nunca tiveram acesso a um banco antes. 

Inclusive, foi uma das primeiras instituições a liberar o crédito mais abertamente aos brasileiros, contribuindo ainda mais para essa onda de acessibilidade. 

As iniciativas privadas como essa vão ao encontro do propósito de garantir mais liberdade econômica às pessoas, mais inclusão financeira e de melhores condições de relacionamento com o dinheiro. 

Medidas governamentais de mais acesso a crédito para microempreendedores, por exemplo, também mostram que o caminho está sendo construído e que o cenário é otimista e que é necessário ter um olhar atento para o assunto, principalmente durante esse momento de retomada econômica depois da pandemia. 

Acesso a crédito no e-commerce 

Nessa equação, quanto mais inclusivos, simples e versáteis forem os meios de pagamento, mais compras serão realizadas. E tudo o que envolve limite de crédito das pessoas, as operações do mercado e os movimentos de inclusão financeira impacta diretamente o universo dos e-commerces. 

Por isso, a maior variedade de métodos de pagamento facilita o acesso do consumidor à loja online, deixando o ambiente virtual mais atrativo, democrático e simplificado, além de ser um diferencial agregado. 

Para a NuPay for Business, a inclusão financeira e a democratização de todo o sistema é fundamental para o mercado crescer! 

Nossos conteúdos têm como objetivo te ajudar a ficar por dentro do universo dos pagamentos, do mercado financeiro e muito mais. Fique de olho no nosso blog para não perder nada!